TLAXCALA تلاكسكالا Τλαξκάλα Тлакскала la red internacional de traductores por la diversidad lingüística le réseau international des traducteurs pour la diversité linguistique the international network of translators for linguistic diversity الشبكة العالمية للمترجمين من اجل التنويع اللغوي das internationale Übersetzernetzwerk für sprachliche Vielfalt a rede internacional de tradutores pela diversidade linguística la rete internazionale di traduttori per la diversità linguistica la xarxa internacional dels traductors per a la diversitat lingüística översättarnas internationella nätverk för språklig mångfald شبکه بین المللی مترجمین خواهان حفظ تنوع گویش το διεθνής δίκτυο των μεταφραστών για τη γλωσσική ποικιλία международная сеть переводчиков языкового разнообразия Aẓeḍḍa n yemsuqqlen i lmend n uṭṭuqqet n yilsawen dilsel çeşitlilik için uluslararası çevirmen ağı

 15/12/2018 Tlaxcala, the international network of translators for linguistic diversity Tlaxcala's Manifesto  
English  
 UNIVERSAL ISSUES 
UNIVERSAL ISSUES / Síria: intensificação súbita da rivalidade EUA-Rússia
Date of publication at Tlaxcala: 05/03/2018
Original: US-Russia rivalry surges in Syria
Translations available: Italiano 

Síria: intensificação súbita da rivalidade EUA-Rússia

MK Bhadrakumar

Translated by  resistir.info

 

O importante discurso do ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergey Lavrov, dia 19 numa conferência internacional sobre o Médio Oriente, converteu-se na mais áspera denúncia russa até à data quanto à mudança na política estado-unidense da administração Trump em relação à Síria, onde o Pentágono pretende agora manter indefinidamenteuma presença militar (aqui e aqui).

Habib Haddad

A impressão geral que Lavrov transmitiu é tríplice. Uma, em termos imediatos, é que se pode esperar uma intensifiação agravada dos combates na Síria devido às tentativas dos EUA de criar novos factos sobre o terreno utilizando proxies locais – a milícia curda mais filiados à al-Qaeda e combatentes do ISIS – assim como de fazer recuar a Rússia, o Irão e o governo sírio.

 
Em segundo lugar, a Rússia conclui que a mudança na estratégia geral dos EUA tem como objectivo balcanizar a Síria. (Posteriormente, ao falar aos media em Moscovo, Lavrov também chamou a atenção para a presença de mercenários e das Forças Especiais da França e Grã-Bretanha no nordeste da Síria a trabalharem em conjunto com as forças estado-unidenses na implementação da agenda americana para criar zonas de influência).
 
Em terceiro lugar, as conversações entre Moscovo e Washington em relação à Síria estão num beco sem saída. Lavrov especificamente advertiu Washington de que está a "brincar com fogo" na Síria, indicando que a estratégia dos EUA se deparará com resistência.
 
Duas outras características da conferência de Moscovo são que, primeiro, o ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão, Mohamad Javad Zarif, tomou parte nela; e, segundo, o evento também destacou um papel mediador russo para a acalmia das tensões entre o Irão e a Arábia Saudita.
 
Zarif disse a Lavrov numa reunião segunda-feira em Moscovo que Teerão procura a ajuda da Rússia na resolução de conflitos intra-regionais no Médio Oriente muçulmano. Posteriormente Zarif postou na sua conta oficial no Tweeter: "Com a perspectiva estratégica sóbria da Rússia e sua crescente influência na Ásia ocidental, ela pode desempenhar um papel instrumental para ajudar numa mudança de paradigma no Golfo Pérsico baseado no diálogo e na inclusão".
 
Assistiram à conferência delegados não oficiais de vários países do Médio Oriente, incluindo a Arábia Saudita. Enquanto isso, o rei Abdullah da Jordânia efectuou uma "visita de trabalho" a Moscovo e encontrou-se com Putin. No dia anterior, Lavrov havia falado ao telefone com o seu homólogo egípcio, Sameh Hassan Shoukry. Ontem, Putin também telefonou ao presidente turco Recep Erdogan. A Síria foi o foco de todos estes diálogos.
 
A estratégia russa será persuadir estados regionais importantes que têm sido aliados regionais dos EUA – a Arábia Saudita e a Jordânia, em particular – a não se reincorporarem no conflito na Síria alimentando uma nova onda de combates. Se a abordagem tiver êxito, os EUA podem ficar em desvantagem com a falta de apoio regional para avançar com a via militar.
 
Contudo, embora os laços da Rússia com a Arábia Saudita se tenham fortalecido apreciavelmente nos últimos anos, a capacidade de Moscovo para intermediar uma aproximação saudita-iraniana está para ser vista. A Síria continua a ser uma importante fonte de rivalidade entre a Arábia Saudita e o Irão. E a ironia é que, finalmente, a administração Trump está fazer o que a Arábia Saudita queria que a anterior administração Obama fizesse, pressionar por uma agenda aberta de "mudança de regime" na Síria através de métodos coercivos.
 
Na percepção saudita, a Rússia sofreu recentemente uma série de revezes na Síria. Resumindo a situação síria, Ghassan Charbel, editor-chefe do influente diário Asharq Al-Awsat , do establishment saudita , escreveu segunda-feira: "Nunca antes todas estas bandeiras, interesses, perigos, exércitos, milícias, divisões internas e choques regionais e internacionais se reuniram nos seus territórios (da Síria). Desde o sul até Idlib, Hmeimen e Afrin, a Síria é como um barril de pólvora. Ela está no cerne de um vasto e complexo conflito geo-estratégico que é impossível resolver com a força e onde as perdas e os ganhos serão difíceis de prever... As circunstâncias regionais e internacionais não parecem maduras para... conversações acontecerem. A tragédia síria está aberta às mais perigosas possibilidades". 

A tendência saudita será esperar e observar para onde sopram os ventos. Por outro lado, a guerra no Iémen permanece a prioridade número um saudita e Riad procura um papel russo no término daquela guerra pela alavancagem da sua influência junto ao Irão. 





Courtesy of Resistir.info
Source: http://blogs.rediff.com/mkbhadrakumar/2018/02/20/us-russia-rivalry-surges-in-syria/
Publication date of original article: 20/02/2018
URL of this page : http://www.tlaxcala-int.org/article.asp?reference=22893

 

Tags: EUARússiaSíriaIrão
 

 
Print this page
Print this page
Send this page
Send this page


 All Tlaxcala pages are protected under Copyleft.