TLAXCALA تلاكسكالا Τλαξκάλα Тлакскала la red internacional de traductores por la diversidad lingüística le réseau international des traducteurs pour la diversité linguistique the international network of translators for linguistic diversity الشبكة العالمية للمترجمين من اجل التنويع اللغوي das internationale Übersetzernetzwerk für sprachliche Vielfalt a rede internacional de tradutores pela diversidade linguística la rete internazionale di traduttori per la diversità linguistica la xarxa internacional dels traductors per a la diversitat lingüística översättarnas internationella nätverk för språklig mångfald شبکه بین المللی مترجمین خواهان حفظ تنوع گویش το διεθνής δίκτυο των μεταφραστών για τη γλωσσική ποικιλία международная сеть переводчиков языкового разнообразия Aẓeḍḍa n yemsuqqlen i lmend n uṭṭuqqet n yilsawen dilsel çeşitlilik için uluslararası çevirmen ağı la internacia reto de tradukistoj por la lingva diverso

 29/05/2017 Tlaxcala, the international network of translators for linguistic diversity Tlaxcala's Manifesto  
English  
 EDITORIALS & OP-EDS 
EDITORIALS & OP-EDS / Solidariedade a Mikaël Doulson, que será julgado em 7 de novembro, em Boulogne-sur-Mer, por haver apoiado aos migrantes de Calais!
“Participação em uma manifestação ilegal, com ocultação do rosto”
Date of publication at Tlaxcala: 25/10/2016
Original: Solidarité avec Mikaël Doulson, jugé le 7 novembre à Boulogne-sur-Mer pour avoir soutenu les migrants de Calais
“Participation à une manifestation illégale, avec dissimulation du visage”

Translations available: Español  English  Italiano 

Solidariedade a Mikaël Doulson, que será julgado em 7 de novembro, em Boulogne-sur-Mer, por haver apoiado aos migrantes de Calais!
“Participação em uma manifestação ilegal, com ocultação do rosto”

Mikaël Doulson Alberca میکائیل دولسن آلبرکا

Translated by  Elissandro dos Santos Santana

 

Recebemos e publicamos esta mensagem de nosso amigo e colaborador Mikaël Doulson, vítima da arbitrariedade que reina em Calais há muito tempo.

Chamo-me Mikaël Doulson, sou jornalista assalariado em um meio de imprensa associativa.

No sábado passado, 1° de outubro, às 5 horas e 15 minutos pm, prendeu-me a polícia francesa em  Calais, em uma concentração de apoio aos migrantes que vivem em um acampamento conhecido como “a selva”, que será desmantelado nos próximos dias.

Fui acusado de “participação em uma manifestação ilegal, com ocultação do rosto”.

Tudo isso ocorreu quando, simplesmente, fui a Calais para incentivar algumas oficinas de percussão com os migrantes e escrever um artigo sobre a concentração, sem saber que não tinha sido autorizada. Além disso, se, na verdade, cobri minha boca e meu nariz com meu cachecol foi para proteger-me dos efeitos deletérios dos gases lacrimogênios utilizados, de forma massiva, pela polícia aquele dia, como demonstra o seguinte vídeo.

O vídeo de minha prisão  prova minha atitude completamente pacifista, não violenta, e minha intenção comemorativa,  sem disposição para perturbar a ordem pública ou ameaçar bens ou pessoas (minuto 14):

Também este vídeo e muitos outros mostram o uso desproporcional da força (bastões, granadas de efeito moral, gás lacrimogêneo, flash-ball) contra uma população fortemente discriminada, vulnerável e excluída:

Numerosos casos de violência policial têm sido registrados pela associação Calais Migrant Solidarity:

Passei mais de 40 horas de prisão provisória  em uma cela de menos de quatro metros quadrados em condições terríveis, humilhantes e indignas da condição humana: insalubridade extrema (sangue e excrementos que maculam as paredes e o chão), privação do sono (luz acesa 24h /24h), proibição de beber água durante várias horas, tantas práticas que constituem tortura psicológica, destinada a quebrar a resistência psicológica dos réus antes da passagem pela audiência. Também fui insultado (Quando, de forma cortês, pedi algo para beber, foi-me dito “¡Não, sou eu quem decide palerma!”), o que constitui, por outra parte, uma infração ao Código de Ética da Polícia Nacional.

Devo recordar que a França é regularmente condenada pelo Tribunal Europeu dos Direitos Humanos e outras instâncias de competência internacional por maus-tratos aos prisioneiros e pessoas sob custódia, e pelas condições de detenção que são contrárias ao direito internacional (principalmente, o Artigo 3 da Convenção Europeia para a Proteção dos Direitos Humanos e das Liberdades Fundamentais).

Após a detenção provisória, passei pela audiência imediata, como se fosse um criminoso perigoso. Pedi adiamento do julgamento para ter tempo para preparar minha defesa com minha advogada, e, felizmente, fui posto em liberdade até o dia do julgamento.

Portanto, o meu julgamento será na segunda-feira, 7 novembro de 2016, às 14h, no Tribunal da Grande Instância (TGI) de Boulogne-sur-Mer (Pas-de-Calais). Endereço: (a bem chamada!) Praça da Resistência - 62200 Boulogne-sur-Mer.

Neste contexto, convido-os para comparecerem em grande número à audiência pública, para apoiarem-me e, assim, apoiarem a causa dos migrantes e os que estão em situação irregular. Porque este julgamento não é somente meu julgamento, mas, também, o de todas as pessoas que lutam pela defesa das Liberdades Fundamentais: liberdade de expressão, liberdade de movimento, liberdade de expressão e de reunião, em suma, a liberdade de ter esperança, para organizar e tentar construir um mundo melhor em conjunto.

No dia 7 de novembro, a partir das 12 horas am, será organizado um auto-almorço na praça em frente ao Tribunal, para que nos conheçam antes do processo. A ideia é simples: cada um/a traz algo para comer ou beber e dividimos.

Caso possa me ajudar, agradeço por tomar 30 segundos de teu tempo para assinar este pedido de apoio (é o mesmo texto deste correio eletrônico) e difundi-la, amplamente, no Twitter e no FB.

Agradeço-te por difundir esta mensagem em tuas redes de militância, amigos, familiares, meios de comunicação (alternativos ou não), etc. Para apoiar-me e pedir ao Procurador do Tribunal da Grande Instância de  Boulogne-sur-Mer a retirada das acusações contra mim.

Você pode também ajudar-me a pagar uma parte das despesas de meu processo (despesas com advogado, despesas administrativas, possível multa…), fazendo-me:

  • Uma transferência para minha conta bancária: IBAN: FR76 1350 6100 0090 7173 6800 164 e BIC: AGRIFRPP835. Banco: Crédit Agricole de Nîmes. Titular da conta: M. MIKAEL DOULSON.
  • Ou uma doação on-line.

Agradeço de antemão.

Caso queira, pode também escrever-me no seguinte endereço: soutienamikael[at]riseup.net

Continuemos nossa luta cotidiana, e não esqueçamos a bela frase de Guy Bedos:

“A liberdade se desgasta somente quando não se usa”

Muito obrigado, a luta continua.  

É a hora de dizer: « ¡Nos vemos amanhã na rua, e pela vida avante! “

NdlT

*CRS: Polícia anto-movimentação criada pelo ministro socialista de Interior Jules Moch para reprimir os mineiros do Norte em greve em 1947.

 http://tlaxcala-int.org/upload/gal_14654.jpg





Courtesy of Tlaxcala
Source: http://tlaxcala-int.org/article.asp?reference=19140
Publication date of original article: 19/10/2016
URL of this page : http://www.tlaxcala-int.org/article.asp?reference=19196

 

Tags: Mikaël DoulsonMigrantes de CalaisCalais Migrants SolidarityRepressão policialViolações dos Direitos HumanosDoce FrançaUEropa
 

 
Print this page
Print this page
Send this page
Send this page


 All Tlaxcala pages are protected under Copyleft.